quinta-feira, 9 de abril de 2015

Somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter

Hoje a analogia é com a clássica música "Somos quem podemos ser" de Humberto Gessinger, lançada no álbum da banda Engenheiros do Hawai de 88, Ouça o que eu digo, não ouça ninguém. O jogo de ontem me fez remeter a essa canção, pelo fato do nosso sentimento como torcedor. Historicamente e perceptivelmente esta torcida é receosa, temerosa, pessimista e exigente além da conta. Não nos apegamos a jogadores de renomes internacionais, não nos apegamos a dirigentes falastrões, não nos apegamos a reversão de resultados que parecem improváveis, nos apegamos ao mais plausível, sonhamos com o que podemos sonhar, somos quem podemos ser e se o time não demonstra toda essa volúpia, garra, técnica e consistência tática necessária para empolgar não nos empolgamos. Ontem acredito que até o torcedor mais receoso conseguiu voltar a sonhar e se empolgar com o que somos, a representatividade do bi-campeão da Libertadores, La Bestia Negra da america, mostrando seu valor e sua força, mostrando que quando quer é capaz de fazer bonito.

Ainda parafraseando Humberto Gessinger, "... E tudo ficou tão claro / um intervalo na escuridão...", esse sentimento que tive ontem, um intervalo nos jogos lastimáveis que presenciamos em 2015, a clareza da capacidade deste time que com vontade e inspiração tem potencial para galgar os lugares que estamos habituados a estar.

Damião, Arrascaeta, Alisson, Leo, Paulo André, Mayke, Mena, Willians, Fabio, Henrique e até o garoto Gabriel Xavier que teve pouco tempo, deram essa esperança ontem para a torcida, com bom futebol contra um time de fato inferior que tentou ditar o jogo através de ponta pés e cotoveladas, mas que pouco adiantou contra um time merecedor do resultado de 3 a 0, se pá deveria ser até mais, com um pouquinho mais de sorte, ou boa vontade do fraquíssimo juiz chileno, mas o resultado foi ótimo, já estamos classificados e o desempenho foi um alento para um torcedor que estava desesperançoso. Fim de semana agora teremos uma semi-final, este jogo com o time venezuelano ajudou a moral do time para a próxima partida e que a pegada continue, porque sabemos que assim podemos ser quem somos, O Maior de Minas.

Podemos ser de novo o que costumamos ser, um time belo, forte, impávido colosso e o teu futuro e seu passado espelha essa grandeza, pois sua imagem sempre resplandece.


sexta-feira, 20 de março de 2015

Cada dia é uma chance pra ser melhor que ontem

Parafraseando Emicida, "Cada dia é uma chance pra ser melhor que ontem, o sol prova isso quando cruza o horizonte, vira fonte que aquece, ilumina". Lembrei muito desse trecho desta música ontem, talvez pelo primeiro tempo medíocre do Cruzeiro, mas acredito que o motivo maior foi pela presença do camisa 28 em campo no segundo tempo, Charles. O cara que foi o 10 do 6x1, o cara que chorou em campo quando a torcida estava vaiando e agora o cara que trabalhou um ano pra ter uma oportunidade.

Cruzeiro jogou mal, mas construiu o resultado através de um gol achado no primeiro tempo pelo artilheiro do time Damião e depois de boa jogada do surpreendente Marquinhos. Mas muito além que o resultado, o que eu levei desta partida foi ver um jogador que declaradamente ama esse time, nunca foi unanimidade na torcida, ficou um ano treinando em separado do grupo e ontem teve a oportunidade de entrar em uma partida importante para o Cruzeiro.

Charles correspondeu, lógico que achei que a forma física dele ainda está longe de ser a ideal, mas entrou com disposição e a vontade de sempre, ganhou espaço em um setor em que o Cruzeiro estava mal, com Henrique e William Farias pouco inspirados, Charles foi o terceiro volante que tinha mais liberdade para sair, além de combater as jogadas do time venezuelano, estava preciso nas viradas de bola, cadenciou o jogo quando era necessário e deu chutão quando foi preciso. Se mostrou muito mais do que técnico ou com nome, eficiente e um exemplo de que se esperar e trabalhar todos podem ter sua chance.

Em uma noite ruim, porém com resultado favorável o que se pôde aproveitar é a certeza que as esperanças se renovam a cada oportunidade na vida e Charles é a demonstração dessa volta por cima, de acreditar no amanhã e esperamos que este amanhã seja sempre melhor que o ontem.


quinta-feira, 12 de março de 2015

Rápido e rasteiro como o ataque do cruzeiro


No dia 27 de outubro de 1966 nasceu o bordão: "Vamos embora, vamos ligeiro, rápido e rasteiro como o ataque do Cruzeiro". A frase fazia parte da marchinha "Can can do Mineirão", de autoria do maestro Jadir Ambrósio, interpretada por Haroldo Medina e a orquestra de Davi Barbosa. A música fazia parte de um disco compacto de vinil, de 33 rotações, que tinha no lado inverso o "Hino ao Campeão", que foi adotado como oficial do Clube.

O segundo tempo do jogo ontem contra o Vila Nova na Arena de 6+1 Lagoas , só me lembrou este refrão. Alisson, Arrascaeta e Judivan ou Marquinhos, fez o ataque uma movimentação interessante e acredito que geral da torcida cruzeirense estava ansioso para ver o Cruzeiro em 2015 desta forma... um time mais solto, mais jovem, mais abusado e mais técnico.

E desta forma a maior esperança desta temporada da janela de transferência do Cruzeiro o uruguaio de 20 anos, deslanchou e guardou 2 gols da goleada de 4 a 0, com os outros gols marcados de pênalti pelo artilheiro do mineiro Leandro Damião e pelo Marquinhos que estava merecendo marcar.

Vale também ressaltar que ontem mais uma vez Leandro Damião jogou bem, além do gol deu assistência pro gol do Marquinhos e brigou o tempo todo, participou das jogadas e vem contrariando as expectativas jogando melhor que os mais otimistas estavam esperando.

A arena do jacaré, mais uma vez mostrando ser um lugar místico para o Cruzeiro e esperamos que este ano tenha sido um lugar de um salto no estilo de jogo que estava sendo apresentado até agora e assim podemos mais ver esse ataque sempre tão rápido e rasteiro.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Uma estreia que deixa uma boa impressão



Falar sobre estreia, eu poderia falar da estreia do Cruzeiro na Libertadores, que realmente me deixou uma boa impressão, o time jogou na altitude, verdade que não foi contra nenhum timaço, mas jogar lá é complicado e a apresentação do Cruzeiro foi boa, o gol não saiu por detalhe e ainda tivemos destaques individuais como o Fabio que fez grandes defesas, Arrascaeta que mais uma vez jogou bem, dando bons passes, mas foi substituído prematuramente, Marquinhos que tem sido muito regular neste time e muito participativo e nosso centro avante Leandro Damião que mais uma vez participou bem do jogo. A estreia do Cruzeiro perto dos outros brasileiros então ai sim que foi boa mesmo. O inter perdeu fora de casa para o The Strongest, São Paulo perdeu no clássico para o Corinthians (o único brasileiro a vencer na estréia) e o time de Vespasiano tomou 2 do Colo Colo no Chile, este time brasileiro por sinal já perdeu mais uma em casa para o "poderoso" Atlas do México.

Enfim o post seria para falar da estréia do Willians no Cruzeiro. O ex-volante do Internacional chegou para substituir o garoto Lucas Silva que agora desfila seu bom futebol em terras espanholas. Ontem Willians entrou no Segundo Tempo no lugar do William Farias que mais uma vez não foi bem e ainda tomou um cartão amarelo. Willians entrou e dominou o meio campo, sua força e raça sempre foram suas marcas registradas e ontem já mostrou o motivo de sua fama de jogador guerreiro e batedor, ganhando quase todas as divididas na vontade. Não foge de um jogo de contato, muitas vezes dando o corpo pro adversário bater, com isso sua outra qualidade aparece, quando recebe a bola mesmo pressionado consegue com habilidade e força limpar o jogo, deixar as coisas mais claras, no jogo da Bolívia ele fez isso pelo menos umas 3 vezes no meio de campo, na pressão do adversário ele limpava o lance e passava a bola pra um companheiro mais tranquilo.

Para muitos que acreditavam que ele seria apenas o jogador "cão de caça" que o Marcelo Oliveira queria ontem ele já mostrou que além dessa responsabilidade ele será o cara para começar as jogadas do time com qualidade e habilidade.

Então ontem além do bom resultado para inicio de competição ainda valeu para o novo volante se mostrar para a torcida cruzeirense, com mais sequencia tenho certeza cativará um lugar intocável neste time que está tomando cara que será uma excelente equipe. Acredito que o Cruzeiro fará um próximo jogo muito bom em casa contra o Huracán temos tudo para ver uma grande apresentação do time e mais um show da torcida.


Crédito da Imagem design André Lopes ().

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Primeiros passos para a volta por cima



Na noite de estréia do 10, Arrescaeta no Mineirão, quem brilhou foi Damião com ajuda de Marquinhos e ainda podemos ver a estreia da outra opção para a posição de 9 no time, Henrique Dourado e do novo líder em campo Paulo Andre.

Numa apresentação em que o Cruzeiro foi Cruzeiro e jogou bem, relembrando seu bom futebol de 2013 e 2014, mesmo com alguns jogadores considerados reservas do time, como o lateral Fabiano, o volante William Farias e o meia e/ou atacante Marquinhos, este por sinal fazendo mais uma vez uma partida muito boa, fazendo gol e participando bem das jogadas.

Tivemos a estréia de Henrique Dourado "a sombra" do Leandro Damião, verdade que quando ele entrou a partida já estava decidida com o placar de 3 a 0, mas o vice-artilheiro do brasileirão 2014 ainda teve tempo para perder 2 gols relativamente claros. O primeiro Henrique recebeu uma bola cruzada e bateu de primeira de certa forma até bem mas o goleiro do Boa conseguiu evitar o gol, na segunda bola também cruzada ele se esforça pra chegar de cabeça mas não consegue cabecear a bola e ainda se choca com a trave. Em geral em noite de gala do Damião, Henrique se mostrou que será apenas seu reserva.

Judivan e Joel foram os outros suplentes que entraram no segundo tempo, é evidente que os dois serão aqueles caras que sempre estarão entre os titulares e mais uma vez entraram muito bem na partida, Judivan por sinal deu o passe para o terceiro gol.

Leandro Damião que foi o grande jogador da partida, já no primeiro tempo deu um passe maestral para Marquinhos abrir o placar, depois de segurar bem a bola, virou o jogo achando o companheiro em condição de meter um golaço. Um pouco depois, em escanteio batido pelo Arrascaeta, o nove celeste se antecipou ao goleiro e finalizou muito bem, dando novos números na partida. Ainda no primeiro tempo, Damião continuou jogando bem, segurando a bola, buscando o gol e quase fez o terceiro em jogada pessoal, de força. No segundo tempo fez mais um de cabeça e quase fez um golaço de bicicleta, salvo pelo goleiro do Boa.

Arrascaeta, fazia uma partida discreta e ainda sim deu a assistência para o segundo gol do Cruzeiro e quase fez um golaço no segundo tempo em jogada pessoal que passou por três marcadores mas finalizou caprichosamente rente a trave.

No geral foi uma boa partida, o time está tomando cara de Cruzeiro e ainda vai evoluir mais.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

O Glorioso retorno de quem nunca esteve aqui



E finalmente a bola rolou para o clube azul estrelado, sentimos ausências de jogadores que estávamos acostumados a assistir correndo pelo gramado com o manto azul, podemos ver duas caras totalmente novas e ainda podemos ver alguns garotos subindo da base para tentarem "lucasilvar" neste time que na minha opinião promete. O que podemos perceber desse primeiro jogo deste novo elenco, que ainda está em completa formação com certeza não será o que veremos no decorrer da temporada.

Em um campo visivelmente "muito péssimo", o cruzeiro entrou em campo com um time que contava com seis jogadores que estiveram no time nas campanhas campeãs de 2013 e 2014 (Fabio, Mayke, Leo, Bruno Rodrigo, Henrique e William), três jogadores que participaram medianamente da campanha de 2014 (Judivan, Eurico e Marquinhos), ainda tivemos Gilson voltando de empréstimo e Leandro Damião fazendo sua estréia oficial.

Este ano será comum viver fazendo comparações com o time bi-campeão brasileiro e comparar o primeiro tempo deste time que saiu perdendo para o Democrata de Governador Valadares seria uma atrocidade com o time dos dois anos anteriores. O time estava muito abaixo do que estamos acostumados, Judivan e Marquinhos não conseguiam acertar nada, Gilson e até o garoto Mayke foram totalmente improdutivos, Henrique e Eurico não conseguiam iniciar uma jogada, talvez por causa da condição do gramado, talvez pelo Democrata ter fechado bem o time. De todo jeito o primeiro tempo que saímos atrás no placar, não agradou a ninguém.

No segundo tempo o Cruzeiro decidiu se impor, mostrar força, e Marcelo Oliveira mexeu muito bem. Primeiro tirou Eurico e colocou Joel, O Cruel. O jogador camaronês entrou para fazer a função do Ricardo Goulart, e te confesso que achei que ele desempenhou bem esse papel. Neste Momento Marquinhos voltou um pouco mais para compor o meio e isso melhorou seu jogo na partida, depois acabou saindo para dar lugar ao garoto promissor Bruno Ramires e Neilton entrou no lugar do pouco produtivo Judivan.

Não demorou para Henrique empatar a partida com a bola que era o terror em 2013 e 2014, o escanteio. Depois numa jogada no mais belo estilo cruzeiro de ser, troca de passes rápida e eficiente William tabelou com Joel que com sua canhota precisa virou a partida.

Acho que foi um bom inicio, com algumas muitas peças ainda a estrear, o time mostrou determinação para buscar um resultado apesar das adversidades e mostrou algumas características que já estamos acostumados a ver, bons escanteios e tabelas rápidas,

Um destaque individual desta partida achei o William, que se movimentou muito e sempre buscou fazer boas jogadas, produzindo as melhores chances do time. No geral saímos com um bom resultado, conseguiu pelo menos no segundo tempo retornar ao seu futebol que acostumamos a ver, mesmo sendo com jogadores que não estiveram aqui nas temporadas passadas, obvio que ainda temos muito a evoluir e tenho certeza que essa evolução será natural.



Um adendo ao post, eu gostava dos números fixos e pelo visto não teremos mais este ano... vai entender.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A saga da lateral esquerda

O setor mais criticado pela torcida cruzeirense é a lateral esquerda, isso já vem de muito tempo. Mesmo o atual titular ser considerado um dos melhores do Brasil durante os dois anos que o time foi campeão, mesmo com o atual titular sendo destaque nacional pela roubada de bola durante dois anos, mesmo o atual titular sendo destaque em 2013 em assistência pra gol. Nada disso fez com que a torcida cruzeirense aceitasse o Egídio como titular incontestável, sempre que se especula reforços, alguém já grita "tem que trazer alguém pra lateral esquerda". Vamos tentar entender um pouco mais esse cenário.

Primeiro vamos olhar se a grama alheia está mais verde que a nossa. O que os outros time do Brasil apresentam de lateral esquerdo? Começando pelos primeiros colocados do brasileirão 2014, São Paulo, Internacional, Corinthians, Atlético MG, Fluminense.

São Paulo - O principal nome é Michel Bastos, mas que este não é lateral a anos, na Europa foi atacante muitas vezes até pela direita. Em 2014 alternou posicionamentos no meio de campo e mesmo assim não tem mais o futebol que o levou a ser titular na Copa do Mundo de 2010. Outro renomado jogador é Alvaro Pereira, estava por empréstimo no time paulista, jogador raçudo, guerreiro mas que excede um pouco a vontade e muitas e muitas vezes fica suspenso, tirando o fato que o deslocamento dele para o ataque é péssimo, tanto que na temporada 2014 ele teve 1 chute certo para o gol. Em compensação defendendo ele desarmou 66 vezes no ano, fez 2 pênaltis e é o campeão de amarelo do SP, recebendo o cartão por 12 vezes o que o fez o 4º com mais cartão no campeonato. Outro dado negativo deste jogador é o número de passes errados, 138 sendo o segundo do clube neste quesito. O outro lateral esquerdo do time é Reinaldo, que fez apenas 17 jogos no campeonato e pouco foi efetivo nestas partidas.

Internacional - No colorado o principal jogador da posição é Fabricio e este sim apresenta números estatísticos bem consideráveis na parte ofensiva. Fez 3 partidas apenas a mais que Egídio e conseguiu 2 gols a mais. No decorrer do ano ele apresenta maior número de passes certos, assistências pra gol e dribles certos do que o lateral cruzeirense. Nosso lateral esquerdo defensivamente foi melhor, tem mais roubada de bolas, tomou apenas 2 cartões amarelos enquanto o Fabricio, 9 e não foi expulso enquanto o lateral colorado perdeu a cabeça por 2 vezes recebendo o cartão vermelho. Por serem jogadores com a mesma idade e analisando tecnicamente, Fabricio seria o jogador mais comparável a Egídio, mas seu temperamento difícil é famoso e acredito que na estrutura deste cruzeiro precisamos de um jogador melhor na defesa e que tenha tranquilidade para manter o equilíbrio do time.

Corinthians -  O veterano Fabio Santos mais uma vez é o principal jogador do Corinthians para a posição, jogador também mais voltado para a parte ofensiva, tanto que com 4 partidas a mais que o Egídio fez 4 gols, mas vale levar em consideração que ele cobra pênalti no seu clube, o que facilita a ele elevar seus números. No comparativo com outros dados estatísticos o Egídio leva vantagem, como assistência para finalização, roubada de bola, cartões e cruzamentos. No Corinthians Fabio Santos é o jogador com mais passes tanto certos quanto errados e neste quesito ele também deixa o Egídio pra trás, o que mostra que ele é mais participativo do jogo mas não quer dizer que é realmente efetivo, já que o clube paulista não é um time muito ofensivo e sim que retém a bola e troca passes no setor defensivo com demasia, tanto que ele é o 6º jogador entre todos os times que mais errou passe no campeonato. Por falar em setor defensivo Fabio Santos é um caos, no Corinthians ele é apenas o quarto em desarmes certos, fez 2 pênaltis no campeonato dividindo com vários outros jogadores, incluindo Dedé como os jogadores que mais fizeram a penalidade no ano.

Atlético-MG - Este time utilizou 3 laterais durante o campeonato, sendo 2 destes nem vou comentar, nem comparar nada porque são fraquíssimos, Pedro Botelho e Emerson Conceição. Na verdade até o Douglas Santos comparar com o Egídio seria uma disparidade sem lógica. Na verdade os números do Douglas Santos não se destacam nem dentro do seu próprio time, resumindo é um jogador mediano que fez uma temporada mediana disputando posição com outros dois jogadores de nível baixíssimo.


Fluminense - O principal jogador pela lateral esquerda é o veterano Carlinhos, jogador que já foi eleito em outros anos o melhor da posição no país, porém seu nível de regularidade anda em baixa, tanto que esta temporada jogou apenas 26 jogos mas ainda mesmo sem todo vigor físico de tempos vindouros ainda é um jogador efetivo ofensivamente, tanto que mesmo fazendo poucas partidas finalizou mais que o nosso lateral. Defensivamente é difícil bater o Egídio, tanto que até o Carlinhos, mesmo jogando poucas partidas, tem mais amarelos que o Egídio. Dentro do Fluminense, mesmo fazendo poucos jogos Carlinhos é o 2º com maior número de passes errados e o 4º com maior número de cruzamentos errados. Na comparação com todos os jogadores do campeonato ele não se destaca em nenhum quesito.

Comparando nosso criticado lateral com os dos principais clubes do Brasil, Egídio apresenta uma ampla vantagem, principalmente na parte defensiva, taticamente ele é um refugo enorme para saída de bola do time azul, já que é um dos jogadores do campeonato que mais vezes chega na linha de fundo, o lado negativo disso que ele é o segundo em todo campeonato que mais errou cruzamentos, foram 127 bolas alçadas na área erroneamente, perdendo apenas para o Natanael do Atlético-PR que errou 130 cruzamentos . Se parar para pensar nos outros times brasileiros não temos nenhum jogador da posição que se destacou, a ponto de colocar a titularidade do Egídio a prova.

Em 2014 ele teve como sombra, Samudio que terminou o empréstimo com o Cruzeiro, mas que também não agradou tanto assim, mostrou raça e vontade, fez um gol importante na Libertadores, mas me pareceu muito fraco tecnicamente e sem o preparo físico desejável. Tivemos o retorno de Gilson que estava no América mineiro, não sabemos ainda se ele participará do elenco de 2015, apesar de ter feito uma boa Série B, não acho gabaritado para o Cruzeiro, tanto quanto a volta de Diego Renan, que quando jogou era mais criticado ainda que o Egídio.

Resumindo acho que o Egídio ainda é uma boa opção para a lateral, mas que deveríamos pensar numa sombra pra ele, que o faça treinar mais cruzamentos, e o force a ter mais garra. já que esses são seus pontos fracos. Quem seria essa sombra? ainda não faço ideia, espero me surpreender com alguém desconhecido, enquanto isso a torcida deveria respeitar o futebol do Egídio e deixar ele jogar mais já que por dois anos é considerado um dos melhores do país.